O norte-americano Edgar Cayce (1877-1945) foi um paranormal que, em transe, diagnosticava doenças e respondia a perguntas sobre reencarnação e eventos futuros. 

Cayce acreditava que sua habilidade era um presente dado por Deus para “manifestar o amor de Deus e do homem” e por isso dedicou sua vida em ajudar o próximo.

Cayce nasceu em uma fazenda em Hopkinsville, Kentucky, em 1877, e suas habilidades psíquicas começaram a aparecer já na infância. Ele era capaz de ver e falar com o seu falecido avô e frequentemente brincava com “amigos imaginários”, que ele dizia serem espíritos do outro lado. 

Ele também exibiu uma habilidade fantástica de memorizar as páginas de um livro simplesmente dormindo sobre ele. Tudo isso fazia com que os outros rotulassem o jovem Cayce de estranho, mas tudo o que o garoto realmente queria era ajudar os outros, especialmente as crianças.

Mais tarde, Cayce descobriria que possuía a capacidade de encontrar respostas para as mais variadas questões. Ele fazia isso simplesmente deitando-se em um sofá e fechando os olhos. Ao fazer isso, ele relaxava e entrava em um estado expandido da sua consciência, colocando a sua mente em contato com a consciência universal, também conhecida como mente superconsciente. 

A partir daí, ele respondia qualquer coisa, em qualquer nível de complexidade. Perguntas como “Quais são os segredos do universo?” ou ainda “Qual é o meu propósito na vida?”, são alguns exemplos de perguntas que lhe eram feitas.

Essas respostas passaram a ser chamadas de “leituras” e ficaram devidamente registradas, servindo de ajuda e conselhos até hoje.

Edgar Cayce em outubro de 1910, quando esta fotografia apareceu na primeira página do The New York Times.

A astrologia na visão de Edgar Cayce

Edgard Cayce também era astrólogo e as suas leituras eram diferentes daquelas praticadas pelos astrólogos convencionais. 

Cayce acreditava que a astrologia poderia ser usada como uma ferramenta para a autocompreensão. Sua visão da astrologia era a de que ela deveria contribuir para o crescimento da alma a partir da compreensão do uso e da direção do nosso livre arbítrio ao expressar nossos impulsos, objetivos e energias

Na visão de Cayce “a astrologia é uma forma de vermos que somos parte integrante do ecossistema do nosso sistema solar”. 

Sendo assim, um mapa astrológico de nascimento torna-se uma ferramenta útil para a orientação da missão de vida de cada um, quando um astrólogo interpreta o mapa a partir desse ponto de vista. 

Cayce acreditava ainda que, ao invés dos astros governarem a vida, é a vida que deve governar os astros. Isso coloca o indivíduo no centro do seu universo, transmitindo a responsabilidade diretamente para ele e não para o astrólogo, o mapa natal ou o posicionamento dos planetas.

Ou seja, um mapa nunca deve ser usado como uma “muleta” para apoiarmos os nossos defeitos ou desafios, achando que não devemos fazer nada para mudá-lo. Muito pelo contrário!

Nós estamos aqui para evoluir e o mapa astral serve para nos orientar, indicando de onde viemos e o que nos comprometemos a fazer nesta existência para melhorarmos o que precisa ser melhorado e colocar em prática as nossas facilidades e talentos.

Fernanda Correia

Sobre Fernanda Correia

Jornalista, astróloga e editora do Eleve-se. Capricorniana com Ascendente em Touro, ama tudo que faz conexão com a terra e está sempre disposta a aprender. É uma eterna pesquisadora de temas como astrologia cármica e espiritualidade.

Postagens Relacionadas